sábado, 3 de fevereiro de 2018

Jesus, aquele que cura – E. W. Kenyon

Editora: Rhema Faith
ISBN: 978-85-6333-508-1
Opinião: ★☆☆☆☆
Páginas: 120  

“Jesus foi feito doente com as nossas doenças. Ele se tornou pecado com o nosso pecado. Este foi o método de Deus lidar com o problema do pecado. Ele o resolveu. Não há mais nenhum problema de pecado, pois Cristo o aniquilou e satisfez as reivindicações da justiça para o homem. O problema real é o “problema do pecador”.
Não há nenhum problema de doença. Há simplesmente o problema do crente chegar a saber qual é sua herança em Cristo. (...)
O pecado e a enfermidade vieram da mesma origem. Satanás é o autor de ambos. Estou certo que é ordenação de Deus que o crente deva ficar tanto livre da doença como do pecado. Ele deve ficar tão livre do medo da doença como está da condenação do pecado.”


“A doença é obra de Satanás.”


“Nossa confissão nos aprisiona ou nos liberta. Uma forte confissão acoplada a uma ação correspondente na Palavra traz Deus para a cena.
Manter com firmeza a confissão de uma pessoa, quando os sentidos a contradizem, mostra que essa pessoa está estabelecida na Palavra. Uma confissão inspirada por Satanás é sempre perigosa. Lembre-se de que foi ele quem trouxe essa doença e a colocou sobre você.
Quando você reconhece a doença é como assinar o recibo de um pacote que o correio expresso deixou para você. Daí, Satanás terá o recibo de sua doença. Você a terá aceito.
O valor da confissão “Verdadeiramente, Ele tomou sobre Si nossas enfermidades e nossas dores levou sobre Si”, este é o recibo de Deus para a nossa perfeita cura. Uma confissão positiva domina sobre as circunstâncias, enquanto que uma confissão vacilante permite que elas governem você.
Sua confissão é o que Deus diz sobre sua doença. Uma confissão negativa tornará a doença mais forte. Assim, suas palavras o curam ou o mantêm doente.”


“Toda doença, enfermidade, dor, aflição e pecado é resultado do ódio de Satanás pela raça humana.”


“Praticamente toda a fé que os homens tinham em Jesus antes de Sua morte e ressurreição era a fé do conhecimento pelos sentidos.
Eles criam nas coisas que viam e ouviam. Eles não podiam crer na ressurreição, pois Eles nunca tinham visto uma. Eles tinham visto Lázaro ressurgido dentre os mortos. Ele foi simplesmente levantado dentre os mortos, trazido novamente à vida. Ele não tinha sido ressuscitado, pois chegou a morrer de novo.”


“A doença, hoje, é algo espiritual. Descobri que quando posso provar, através da Palavra, que nossas doenças foram colocadas sobre Jesus e o homem enfermo aceita esse fato, ele é curado instantaneamente.
Enquanto pensarmos que a doença é puramente física, não obteremos nossa libertação. Mas quando sabemos que ela é espiritual, e que precisa ser curada pela Palavra de Deus, pois você lembra que Ele disse: “Enviou a Sua Palavra e os sarou”, então a cura se torna uma realidade.”


“Não devemos nunca falar sobre nossas doenças. Quando contamos sobre nossas dificuldades para as pessoas é sempre para conquistar sua simpatia.
Essa dificuldade, porém, veio do adversário. Quando contamos nossas dificuldades, estamos dando testemunho da capacidade que Satanás tem de conduzir-nos até elas.
Quando falamos sobre nossas doenças, estamos glorificando ao adversário que teve a capacidade de colocar doença sobre nós.
Quando confessamos nossa falta de força ou de poder, confessamos que Satanás de tal maneira nos cegou que não podemos gozar de nossos direitos e privilégios.”


“Se uma dor chegar, você dirá: “No Nome de Jesus Cristo, deixe o meu corpo”. E a dor precisará ir. Você é senhor sobre seu próprio corpo. Você o governa.”


“Não havia nenhuma morte no projeto original da criação. Sabemos que no final desta era, a morte será tragada pela imortalidade, de acordo com 1 Coríntios 15:26: “O último inimigo que há de ser aniquilado é a morte”.
Haverá uma eternidade sem morte. Por que não pode haver um presente sem doenças? Creio que é a vontade do Pai que a Igreja seja tão livre da enfermidade como ela é do pecado.
A morte é uma inimiga. A fraqueza e a doença são inimigas. A morte não é só inimiga do homem, mas é também de Deus.”


“O crente não é um bajulador que fica suplicando, implorando favores. Ele é um filho de Deus, um herdeiro de Deus, um príncipe de Deus.
Ele se situa na presença do Pai, imperturbável, sem temor, tornado justo com a própria justiça de Deus, liberto com a própria liberdade de Deus.”


“Crer é agir sobre a Palavra de Deus. Não há nenhuma fé sem ação.”


JESUS E SEU NOME SÃO UM
Esse Nome e Jesus são um, assim como seu nome é um com você. Você não tem de fazer força para se apossar desta liberdade. Tudo o que tem de fazer é desfrutar dela e andar à luz da Palavra.
Faça destes fatos a sua confissão. Você deve contar ao mundo que pelas Suas pisaduras você foi curado, que a doença perdeu o seu domínio, que ela não pode mais dominar você.
Se falarmos palavras de fé em vez de palavras de dúvida, estaremos falando na linguagem de Deus. Palavras de dúvida provêm de outra fonte. Você não pode falar em doença e enfermidade e andar em saúde.
Você não pode falar às pessoas sobre sua doença e sobre suas dores e gemer acerca de suas aflições para obter a simpatia delas, sem perder sua comunhão com Ele. Quando falamos sobre nossas aflições para as pessoas, perdemos nossa fé e a doce comunhão que temos com o Pai.
Contamos às pessoas sobre nossos problemas para ganhar sua simpatia. Contudo, deveríamos lançar nossa ansiedade e aflições sobre Ele, pois Ele se importa conosco.
Quando falamos sobre nossa fraqueza, fracassos e doenças, glorificamos o diabo que nos mandou essas coisas. Glorificamos os médicos e advogados levando nossos problemas até eles. Eles são pagos para ouvir sobre os problemas das pessoas. Este é o segredo do sucesso deles, serem bons ouvintes quanto aos problemas.
Contar nossos problemas causados por Satanás é uma confissão de que ele é o senhor e de que ele conseguiu a supremacia.
Isso faz os problemas ficarem maiores; torna a doença pior; faz-nos sentir pior. A real confissão em nossas vidas deveria ser a da habilidade de Deus, de Sua fidelidade, e de que nossos sofrimentos estão sendo levados por Jesus, da mesma forma como levou nossas doenças e pecados.
Apegue-se à sua confissão do que Deus é para você e do que você é em Cristo.
Desista de sua confissão da supremacia de Satanás. Você sabe que doença vem do adversário, que a falta de poder vem do adversário. Todos nossos infortúnios são causados por demônios.
Se você está usando palavras inspiradas por demônios, não espere ter a mais doce comunhão com o céu. E a Palavra da fé que falamos. Nossos lábios estão cheios da Palavra da fé. Nossos corações estão cantando a canção da fé.”

Nenhum comentário: