sábado, 3 de fevereiro de 2018

Instruções de Deus para uma vida vitoriosa – Silas Malafaia

Editora: Central Gospel
ISBN: 978-85-7689-285-4
Opinião: ★☆☆☆☆
Páginas: 64 
 
“Não podemos jamais edificar a morada da nossa vida cristã ou social sobre uma montanha composta de blá-blá-blá, de balelas e de emocionalismo. O correto é que os fundamentos da nossa vida sejam construídos sobre as Sagradas Escrituras, por meio da oração, e sustentados pelo ato de servir a Deus.”


“Enfim, quais são os fundamentos da sua casa? Quem possui autoridade lá? Será que um pirralho de dez anos ousa apontar o dedo para o seu nariz? Afinal de contas, quem é o pai ou a mãe? Quem manda?”


“Devemos, de verdade, usufruir do que conquistamos. Pode parecer repetitivo, mas a insistência nessa ideia é intencional. Só não devemos cair na armadilha de gastar mais do que podemos, mais do que produzimos, porque, contra a falência, não há oração que resolva!
“Pastor, ore por mim, porque o inimigo está furioso comigo!”. “Mas, por quê?”. “Pastor, Satanás mandou um demônio, um gafanhoto, devorar as minhas finanças!”. “Mas, conta aqui para mim, como isso aconteceu?”. “Pastor, eu estou pagando de 10% a 12% de juros ao mês no cartão de crédito”. “Meu caro, eu já descobri quem é o seu demônio! E a boa notícia é que é fácil resolver o seu problema! Dê-me o ‘demônio’ aqui, que eu o quebro em pedacinhos, porque esse diabo de cartão dá para quebrar!”.”


“Gostaria de dar um exemplo que vivencio sobre essa necessidade de crescimento que vejo em diversos cristãos com os quais tenho contato na igreja, especialmente as jovens.
Sempre que posso, aconselho-as, especificamente as solteiras — que são muitas —, a encarar a questão da falta de perspectiva sobre o futuro do seu possível marido com muita seriedade, porque é impressionante a quantidade de rapazes que simplesmente não pensa na vida de modo prático. Assim, quando pergunto a um deles: “O que você pretende alcançar na sua vida?”, vem aquela resposta absurda: “O que Deus quiser tá bom!”. Ora bolas! Como ele pode querer atribuir a Deus a bomba da sua própria incompetência? Será que, realmente, podemos esquivar-nos das nossas responsabilidades dizendo: "O que Deus quiser tá bom"?
As jovens não podem jamais se contentar com uma resposta dessas. Perguntem aos rapazes o que eles pretendem alcançar na vida, quais são as suas aspirações profissionais e pessoais, antes de começar o namoro. E se o indivíduo responder com objetivos claros e práticos, afirmando que vai lutar, pois tem sonhos e quer ser alguém com reconhecimento, não importa se ele for duro, teso e leso, enfim, pobre — é certo que ele vai chegar a algum lugar, pois se trata de um bom partido para a jovem.
Mesmo que ela esteja derretida por um elemento bonitão, saradão, um exemplar maravilhoso da espécie humana, ela deve refrear o seu entusiasmo e sondar o rapaz com a célebre pergunta antes de estabelecer um relacionamento amoroso com ele: “O que você pretende alcançar na vida?”. E se a resposta for algo parecido com aquela resposta, ela deve cair fora imediatamente, fugir dele o quanto antes e o mais rápido que puder! Casando-se com um candidato a fracassado como esse, a jovem estará condenada a pedir esmola para, no mínimo, duas pessoas.”


“Contudo, precisamos lembrar, com muita honestidade, que não há polícia civil, militar, federal, exército ou guarda nacional que detenha o poder necessário para neutralizar a violência. E todos nós sabemos o porquê: por trás da violência, existem demônios. E o fato é que todas as importantes forças que mencionamos não sabem lidar com eles.
Já nós, a Igreja do Deus vivo, o povo de Deus, sabemos e devemos estar dispostos a ajudar. Sob a nossa oração, principados e potestades que atuam nessa área serão trancafiados no inferno. Portanto, povo de Deus, orai pela paz da cidade, porque, na sua paz, vós tereis paz.
Entretanto, lembramos que não vamos acabar definitivamente com a violência, a qual é um fruto do pecado. Nossa intenção aqui é amenizá-la a níveis de normalidade permitidos pela convivência social. E isso está garantido na autoridade e no poder da Igreja. Deus seja louvado!


         “Desde muito tempo, o povo cristão luta contra o mal, a fim de pacificar a sociedade, e essa luta é travada porque rejeitamos a influência do mal sobre nossos pensamentos e atitudes. Nesse sentido, o profeta Jeremias nos entregou uma importante mensagem do Senhor a respeito dos males que nos assolam e que destroem nossa estabilidade social.
Não vos enganem os vossos profetas. (Jeremias 29.8)
A influência de falsos profetas sobre a opinião individual ou pública pode ser muito impactante quando não é bem combatida nem desmascarada totalmente. Entretanto, Deus nos mostra como reagir a esse tipo de ação maligna: rejeitando a influência negativa, a maledicência e tudo o mais que faz parte desse “pacote” de comportamento.”

Nenhum comentário: