A conversão de São Paulo

A conversão de São Paulo
A conversão de São Paulo

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Pedro Páramo – Juan Rulfo

Editora: BestBolso
ISBN: 978-85-7799-116-7
Opinião: ****
Páginas: 140 
     “– Faz calor aqui – eu disse.
     – Pois é, mas isso não é nada – respondeu o outro. – Fique tranquilo. Quando chegarmos a Comala, o senhor vai ver o que é calor forte. Aquilo fica em cima das brasas da terra, bem na boca do inferno. Digo eu que muitos dos que morrem por lá, quando chegam ao inferno voltam para buscar um cobertor.”


     “Só eu entendo como o céu esta longe de nós.”


     “– Esta cidade está cheia de ecos. Parece até que estão trancados no oco das paredes ou debaixo das pedras. Quando você caminha, sente que vão pisando seus passos. Ouve rangidos. Risos. Umas risadas já muito velhas, como cansadas de rir. E vozes já desgastadas pelo uso. Você ouve tudo isso. Acho que vai chegar o dia em que esses sons se apagarão.”


     “– Ainda falta uma coisa. A visão de Deus. A luz suave de seu céu infinito. O gozo dos querubins e o canto dos serafins. A alegria dos olhos de Deus, a última e fugaz visão dos condenados à pena eterna. E não apenas isso, mas tudo conjugado com uma dor terrena. O tutano dos nossos ossos convertidos em lume e as veias do nosso sangue em fogo, fazendo-nos contorcer de uma dor incrível; que não míngua nunca; atiçado sempre pela ira do senhor.”

Nenhum comentário: