quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

A Prostituta Errante – Iny Lorentz

Editora: Suma de Letras
ISBN: 978-85-6028-008-7
Opinião: ★★☆☆☆
Páginas: 494


     “– Uma serva? Quem é você para precisar de uma serva?
     Hiltrud levantou uma das fitas amarelas presas à sua saia, que indicava a todos sua condição de rameira.
     – Sou uma sedutora.”


     “– Se você não aguenta umas boas fodas, melhor se afogar.”


      “Marie estremeceu com as palavras de Hiltrud. Ela jamais se tornaria uma meretriz, pensou. Ao mesmo tempo, seu coração encolheu de medo. Se seu pai não a encontrasse a tempo, ela não teria outra opção, a não ser que seguisse o conselho que Berta dera a Fita e acabasse com a própria vida no rio mais próximo. As ondas certamente seriam mais clementes do que os seres humanos.”


      “A lembrança de sua vida anterior parecia-lhe, mais e mais, um sonho de criança. Mais de três anos haviam se passado desde que Hiltrud a achara, semimorta, na beira da estrada e a levara consigo. Três anos, nos quais conhecera o desprezo do mundo honrado e a amizade dos desprezados.”


     “– Que os santos a protejam, Marie!
     – Digamos que já não é sem tempo!”


     “– Eu não disse a você que Deus gosta mais de nós, prostitutas, do que os padres nos querem fazer crer?”


     “– Você é uma menina muito esperta, Marie. Mas, agora, abra-me a porta de sua catedral, pois me voltou o desejo de rezar lá, mais uma vez.”


      “Na verdade, homens são fáceis de se enganar, mas difíceis de se segurar.”


      “À noite, todos os gatos são pardos.”

Nenhum comentário: