A conversão de São Paulo

A conversão de São Paulo
A conversão de São Paulo

sexta-feira, 26 de junho de 2009

O Livro da Lei - Aleister Crowley

Editora: livro distribuído
Opinião★☆☆☆☆


“10. Que meus servidores sejam poucos & secretos: eles deverão reger os muitos & os conhecidos.”


“29. Pois eu estou dividida por causa do amor, pela chance de união.
30. Esta é a criação do mundo, que a dor de divisão é como nada, e a alegria da dissolução tudo.”


“Todas as palavras são sagradas e todos os profetas verdadeiros; salvo apenas que eles compreendem um pouco; solucionam a primeira metade da equação, deixam a segunda inatacada. Mas tu tendes tudo em clara luz, e algo, embora nem tudo, na escuridão.”


“23. Eu estou só: não existe Deus onde eu sou.”


“27. Existe grande perigo em mim; pois aquele que não entender estas runas deverá cometer um grande engano. Ele deverá cair no poço chamado Porquê, e lá ele deverá perecer com os cães da Razão.
28. Agora uma maldição sobre Porquê e seus parentes.
29. Possa Porquê ser amaldiçoado para sempre!
30. Se a Vontade para e grita Porquê, invocando Porquê, então a Vontade para & nada faz.
31. Se o Poder pergunta porquê, então o Poder é fraqueza.
32. Também a razão é uma mentira; pois existe um fator infinito & desconhecido; & todas as palavras deles são artifícios.
33. Basta de Porquê! Seja ele danado para um cão!”


“45. Existe morte para os cães.
46. Tu falhas? Estás arrependido? Existe medo em teu coração?
47. Onde eu sou estes não são.
48. Não te apiedes dos caídos! Eu nunca os conheci.
Eu não sou para eles. Eu não consolo: eu odeio o consolado & o consolador.”


“33. Estejas pronto para fugir ou golpear!”



“60. Não existe lei além de Faze o que tu queres.”

Um comentário:

Anônimo disse...

"Talvez o fruto de tanto "Porquê", seja o maldito silencio, e a inconseqüente ilusão da voz de um sábio, enquanto um louco explicito e necessário é calado!"