A conversão de São Paulo

A conversão de São Paulo
A conversão de São Paulo

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Pequena explicação

     Antes que se confundam, “pequena explicação” não é o título do último livro que li...
     Só gostaria de salientar que as partes dos livros de não-ficção, especialmente os dois últimos, foram bem maiores do que o normal, assim como muitos dos que possivelmente virão por aí, porque não gostaria de me esquecer das idéias que tinha absorvido - o que fatalmente ocorrerá com o andar dos anos - e não poder relê-las com maior precisão.
     A própria teoria da relatividade geral, por exemplo, é um exemplo peremptório: já li sobre ela várias vezes, e a falta de alguém com quem comentar o assunto, ou mesmo de quem pudesse me explicar mais sobre a mesma, faz com que vagarosamente os ensinamentos percam-se nos escaninhos da mente. Daí a necessidade de textos maiores nos livros de não-ficção, o que não implica que sejam melhores ou piores. Apenas gostaria de levar os principais conceitos comigo se é que isto é possível mesmo nos livros deste calibre.
     Bem, este não é o blog adequado para eu escrever, ao contrário, orgulho-me de nele não digitar minhas palavras...
     Termino por aqui, antes que haja demasiada incoerência no título da postagem.

Nenhum comentário: